Viagem com bebês: Roteiro

globos-de-trastevere.jpg
Precisei consultar todos os meus globos para definir esse roteiro! :)

A definição de um roteiro segue preferências tão pessoais que muitas vezes podem parecer irracionais.
Ao fazer nosso primeiro roteiro de viagem com a Clara ficou óbvio que não dava para fugir de fatores novos, todos bem racionais.

O segredo parecia estar no alinhamento das expectativas do que conseguiríamos com a Clara, realizar apenas o que fosse possível e planejar bastante!

Ok, tudo muito certinho, mas estava faltando uma pitada de emoção, de irracionalidade, a gente só não sabia bem onde.

Começou assim, mas não deixe ver o prefácio desta história:

Escopo:

  • Queríamos um lugar quente para a época do ano (Julho 2007);
  • Confesso que me desanimava ver os atrasos dos vôos domésticos e a loteria que era embarcar para um destino dependendo de Gol e TAM. Eu falava para os meus amigos que eu poderia chegar à Europa antes que conseguisse embarcar para Fortaleza. (parece que agora está melhor… quem sabe…);
  • Ao mesmo tempo, o USD estava na mínima contra o poderoso REAL. Tentação de aproveitar e ir para o exterior!
  • Buenos Aires parecia uma pedida fácil e convidativa, mas no inverno e com bebê, não fechava na nossa cabeça;
  • Destinos exóticos, ecoturismo ou países com problemas graves de segurança estavam absolutamente fora dos planos, lógico;
  • Não dava pra ser nada nos EUA porque a Clara não tem visto ainda e não daria tempo de tirar.
  • Resposta: Europa. A gente já sabia.

    Objetivo
    Escolher duas cidades européias para dividirmos em duas semanas de férias.

  • Não dava pra ter muitas trocas de hotel e precisávamos de poucos deslocamentos. O roteiro não poderia exigir grandes viagens de trem ou aluguel de carro. Cuidar da Clara seria a prioridade, eu não queria ter que me preocupar com caminho, estrada, horário de trem, etc;
  • Resposta: Isso limitou que a viagem seria restrita às cidades grandes ou médias.

  • O roteiro tinha que incluir cidades que fossem grandes suficientes para nos entreter e não nos entediar por uns bons dias, para que pudéssemos chegar, ficar e ver o que fosse possível;
  • Resposta: Quase todas as capitais européias entraram nessa lista.

  • Havia uma preferência por cidades com relevo baixo que facilitasse caminhar com um carrinho de bebê;
  • Resposta: Amsterdam, Viena, Paris, Berlim, Copenhagen.

  • Nem quente demais, nem frio demais, mas melhor que fosse um pouco mais para quente, o bebê sofre menos com o calor do que os pais, o importante MESMO é proteger do sol!
  • Resposta: Quem sabe Amsterdam, Berlim, Paris…

  • Tinham que ser lugares em que simplesmente “estar lá” fosse mais atraente do que visitar uma atração turística especial. Já pensou se a gente fosse até São Petersburgo e eu não conseguisse entrar no Hermitage?
  • Resposta: Passamos a considerar voltar a lugares que adoramos em outras viagens e aí entrou na lista: Roma, Paris, Lisboa e Milão (que embora a gente não conheça, fica na Itália e isso é suficiente para nós. A Itália é o nosso destino predileto!)

  • Voltar a um lugar que já havíamos visitado seria uma boa pedida, mas que tentação de ver um lugar novo…
  • Resposta: Eu não conhecia Viena e a Tati havia gostado muito de lá, a Tati não conhecia Amsterdam e eu havia gostado muito também da Holanda. Parecia que fechava bem em todos os aspectos, mas estava faltando alguma coisa…esse roteiro estava muito racional.

    roma.jpg

    O toque irracional que faltava

    Que tal passar na Itália, uma passadinha rápida só pra matar a vontade? Milão para fechar o roteiro?

    Beleza e assim acertamos, emitimos os bilhetes, reservamos os hotéis. Mas foi ele, o Giuseppe Raimondo, meu amigo italiano, que falou para eu trocar Milão por Roma. Foi assim, de última hora e por impulso, que eu segui o conselho do Zé concordando que como eu já havia estado em Roma antes e feito todo o tour lerê, Roma cairia bem melhor com o nosso objetivo.

    “Basta estar em Roma, Giorgio!”

    Receoso com o calor de Roma, com as ruas de paralelepípedo e com o relevo irregular, resolvemos arriscar ainda que parecesse um absurdo para nós mesmos. Nós visitamos Roma uma única vez, havia 10 anos na primeira viagem à Europa e havíamos feito tudo errado. Que isso não fosse um presságio. Não, não era!

    E assim, o roteiro ficou: Roma, Viena e Amsterdam. Não, eu não recomendo que se leve um bebê a Roma se essa for sua primeira viagem, mas que delícia foi ter levado a Clara à Itália na primeira viagem dela.

    Essa pitada de irracionalidade fez toda a diferença!

    About these ads

    34 Respostas para “Viagem com bebês: Roteiro

    1. Puxa Jorge, ficou o máximo seu blog!!!! Posso te “contratar” pra planejar minha viagem com meu filho? Gostei do processo que vocês usaram para escolher os destinos pra viajar com a Clara. As premissas são: viagem mãe e filho de 18 anos, meados de fevereiro/2008, algum lugar em que se fale inglês (excluindo EUA) e que nao seja muito frio nesta época do ano. Duração da viagem = 7 dias.

      Abs,

      Cristiane

    2. Caraca! Perfeito o roteiro…
      Quero ver fotos, rapá. Agilize-as!

      E aquilo tudo é globo teu? Ave Maria! Hehehe.

      Brasss, Diogo.

    3. Decisão ACERTADA trocar Milão por Roma!

    4. Jorge, pirei com os globos!!!!!
      Lindos!!!!!!!

    5. Jorge, que delícia o texto. Tenho um filhote de 2 anos e meio e com certeza vou levar em consideração as suas dicas quando resolvermos viajar com ele. No final do ano vou para Londres e Paris com o meu marido e dessa vez o pequeno não nos acompanhará. Quem sabe na próxima?!

    6. Que método! Espero que o Riq faça um tópico lá no VnV: Viagem com bebês :-D

    7. Jorge, mais uma vez parabéns! Se a gente já não estivesse levando a Isabella, certamente ia mudar de idéia. Nosso roteiro vai ser um pouquinho mais irracional (mas a Isabella já tá maiorzinha e a pediatra aprovou).

    8. Jorge,

      Vou ver se aprendo algumas coisas para praticar no futuro.

      Um abraço

      Para variar vou ter que esperar até o próximo final de semana para ler o resto, mas como seus textos são sempre muito bons, vale a pena!

    9. Pô, que legal galera. Valeu a visita e os comentários. Vou cair na cama agora felizão.

    10. Diogo, bati aquela foto numa loja em Trastevere, em Roma…Fiquei babando, mas eu já tinha muita coisa pra carregar…

    11. Rodrigo, vc é um leitor fiel. Acho que vou conseguir colocar algo no ar antes do fim de semana. Tô com idéias!!!

      Chris, acho que é legal viajar com e sem crianças pra variar, o casal precisa de um tempo para si também. Mas no nosso caso, a Clarinha tá pequenininha, então a gente não quer largar ela pra nada…dá mor saudade.

    12. Nos tambem temos un bebe e é muito importante que saver que tudo é possible.!

    13. Que delicia de texto… Foi assim… vamos dizer…impossivel parar de ler. Vocês analisaram muito bem que todas as alternativas. Oh Clarinha sortuda :) Parabéns

    14. Gira Jorge !! Estou gostando de saber do passo-a-passo na escolha. Alias, boas escolhas, queremos mais posts….ebaaa!

      Eu adoro viajar, mas nem cuido bem de mim mesma imagina ter um bebezinho, bem, acho que não é hora ainda, quando chega vem a vontade de viajar e mostrar o mundo para nossa cria :D

      Beijokas….
      Pat

    15. Jorge,

      saiu aquela estatísitca de ocupação de vôos que você me perguntou:

      http://forum.contatoradar.com.br/index.php?showtopic=18742

    16. Legal Jorge, agora a Clara já pegou todos os nossos vírus de viajantes compulsivos! Pode estar certo que daqui a pouco vocês é que estarão acompanhando-a!
      Abração

    17. Jorge, essa série sobre viagens com babies está ficando ótima – já repassei pra tudo quanto é amigo com filhote. Com toda essa técnica e planejamento, a Clara vai ser uma viajante de primeira! Parabéns!

    18. Que legal o planejamento para essa viagem tão importante. Escreve logo os outros posts!!!
      Beijos para a família viajante!

    19. Galera, muito obrigado mesmo. Tô me divertindo vendo as fotos de novo e preparando os posts.

      Rodrigo, valeu. Achei bacana esse site hein? Só a galera entendida do ramo… pilotos, etc. Obrigado.

    20. Em 1º lugar, parabéns pela Clarinha.
      Eu tenho a Luísa (1a8m) que também já anda pelo mundo e ADORA!
      Nós (pais) somos cariocas, mas moramos em Lisboa, então ela já conhece Portugal de ponta a ponta (tudo bem que PT é um país pequeno ;), mas tem mto para se ver), já foi ao Brasil, a Cabo Verde, a Espanha e ainda passou por uma cirurgia cardíaca com 1 aninho.
      A minha boneca já tem mta história para contar :)
      Ninguém acredita qdo eu falo que ela não dá trabalho nenhum durante as viagens mas é a mais pura verdade. É lógico que é bem diferente das viagens que nós fazíamos sem ela, mas é igualmente prazeroso e compensador.
      É tudo uma questão de adaptação e descomplicar tudo o que pareça complicado.
      Parabéns pelo blog!

    21. No Brasil, em geral, as pessoas tem essa ideia de nao viajar porque tem um bebe. Muito bacana o que voces estao fazendo.

      Aqui na Asia, vira e mexe vejo casais europeus viajando com criancas bem pequenas.

    22. Posso mudar um pouquinho de assunto? Fui agora em julho para Paris e quase pirei diante das ofertas de hotéis. Minha preocupação é que indo com as crianças (é, nem tão crianças assim -rs) deveria tomar cuidado com a localização e com o conforto do quarto (coisa de mãe superprotetora). Encontrei o Moderne Saint Germain no Quartier Latin.
      Gostei muito. A localização entre o Sena e a Sourbonne me agradou. Andando duas quadras do metrô mais próximo tenho a estação Saint Michael q dá acesso ao RER tb.
      Indico. Falam muito do Hotel Familia, mas preferi a localização do MSG.
      Paguei 120 euros.
      Boa viagem!!

    23. Jorge B,
      Cuando regresamos a Espanha desde Brasil, una pareja portuguesa llevaba um bebé muito, muito pequeño. Eu pensé que lloraría muito, também, porque sólo entrar al avión empezó a llorar. Mais cuando el avión empezó su vuelo, dejó de llorar y no se despertó hasta llegar a Lisboa.
      Nos olvidamos totalmente de que viajabamos con um bebé!!!. Fue um viaje muito tranquilo.

      Jorge, Por qué ciudades pra viajar con Clara por primera vez, não era mehlor a Toscana o la Provenza???

    24. Jaqueline,

      Sua herdeira e bonequinha Luísa é mesmo uma vitoriosa! E quanta história pra contar! Estou mesmo achando muito legal conhecer tanta gente com quem tenho bastantes histórias em comum. Muito obrigado pela visita. Volte sempre que der. Meu sonho é viver em Portugal!

      Marcella, onde vc mora? Que país? Eu tenho uma teoria: nossa cultura e o estado da segurança do nosso país forma pais um tanto superprotetores. Eu vejo sempre os pais europeus e mesmo americanos com seus filhos e estão sempre viajando, desde pequenininhos. Eu me convenci de que poderia quando numa trilha em Cinqueterre, eu vi um casal com 3 crianças caminhando toda a Via del’Amore… O mais velho tinha uns 4 anos.

    25. Sandra M, eu vou falar sobre hospedagem com bebês no próximo fim de semana se eu tiver forças…. estou ralando demais essa semana. Concordo, escolher um bom lugar é prioridade.

      Carmen, eu adorei passear na Provença e Toscana está entre os nossos destinos prediletos, mas não pretendia alugar uma casa dessa vez e para ficar num hotel, eu achei que precisaria ter um carro e rodar, etc. Realmente são lugares espetaculares.
      Nos próximos posts, eu pretendo falar dos passeios e programação dos pais com os bebês e aí vc vai ver porque é que eu escolhi viajar para cidades. Sim, bebê no avião não chora nada. A Clara também dormiu ao decolar, jantou e acordou na Europa… O chato é mesmo o aeroporto… Com bebê é bem chato.

    26. Adorei!!! Eu e meu mairdo estamos querendo encomendar o baby ano que vem e sempre pensamos nas viagens que poderemos fazer com ele ou ela!!!
      Grande incentivo!
      bjs

    27. Milão não tem mesmo nada de interessante…

      Estou querendo ir até Amsterdam agora em outubro, e claro, Gabs vai junto. Faz logo esse post de la pra eu ver suas dicas ! ;)

      Bjaoooo

    28. Jorge, muito legal a definição do seu escopo…Realmente, temos que quebrar esse paradigma de viagem com filhos pequenos. Tenho uma de 7 e um de 5, e não há coisa melhor do que apresentá-los a lugares fora do previsível (resorts, hotéis-fazendas etc.). Seu relato me animou a levar os guris pra Paris no ano que vem…

    29. Parabéns! A engenharia de viagem já tá virando uma ciência, e vocês já são os luminares! O planejamento tá perfeito. Quando a Clara for maior, tenho certeza que vai ficar orgulhosa da própria milhagem. Abraços :-)

    30. Marina, mande ver logo no bebê. Vcs vão curtir muito!

      Dani G, tem bastante coisa pra falar de Amsterdam, mas no meu ritmo quase parando de postar, vc já terá levado o Gabriel pra Manaus antes que eu consiga terminar de postar a viagem até Amsterdam!

      Fábio, gurizinhos de 7 e 5 anos… tenho certeza de que tem muita coisa pra vcs curtirem em Paris e ainda tem a Disney e o Asterix ali pertinho para vc dar uma colher de chá para as crianças! Aproveite.

      Meilin, vou dar uma corrida no seu blog pra conferir as fazendas de café fluminenses. Tem um amigo na região lá que queremos visitar e pensamos em nos hospedar lá.

    31. Pingback: Viajando com bebês « Quase sem Querer

    32. Caro Jorge,
      Estou programando uma viagem para quando meu bebê tiver 9 mees. Eu e meu marido iremos fazer ecoturismo. Como envolve muitas caminhadas, gostaria de saber se vc tem alguma sugestão para mochila ou canguru para bebê, (um bebê bem pesadinho, com 7 meses ele já tem 11 kls kkkk)
      Favor, se possível, responder para meu e-mail: stropppauloneto@hotmail.com

    33. juscimar ribeiro

      Prezado Jorge,
      estou planejando uma viagem à europa com minha família, esposa e um filho de 3 anos e meio.
      pensei em irmos a Paris, andar o arredores, depois ir a Genebra (temos parentes lá), e após, ir a Milão de trem, alugar um carro e viajarmos pela Itália, Florença, Siena, Ravena e Veneza, finalizando por roma, que acha?
      abraços,
      Juscimar

    34. Estou achando fantásticos os seus posts! Sou apaixonada por viajar e estou grávida de oito meses e já pensando pra onde vou levar minha baixinha em minha licença maternidade. Me identifico com cada palavra de seu planejamento e estou seguindo o mesmo escopo. Acho que a Europa será a escolhida da vez também. Parabéns pelo blog e obrigada pelas dicas!

    Deixe um comentário

    Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

    Logotipo do WordPress.com

    Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

    Imagem do Twitter

    Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

    Foto do Facebook

    Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

    Foto do Google+

    Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

    Conectando a %s