Viagem a trabalho: Caçando o jantar em Mayfair

    audleys-iii.jpg

Eu não costumo pular refeições, fico mal humorado com fome e normalmente as refeições são um dos principais programas nas minhas viagens.

Assim, durante os meus safáris turísticos noturnos, eu precisava conciliar uma caminhada legal com uma boa refeição. Felizmente, na região onde eu estava hospedado não era difícil encontrar boas opções. Mais uma vez, ainda bem que escolhi bem o endereço do meu hotel.

Mayfair é um bairro “de bacana”. Uma mistura de Recoleta com Gramercy. Achou muita frescura essa definição? Pois é isso aí mesmo.

    mayfair-ii.jpg

Em Mayfair, assim como em todas as partes de Londres, há muitos, muitos imigrantes. A diferença aqui é que eles são ricos ou diplomatas. As origens são as mesmas, são indianos, paquistaneses, árabes, alguns africanos, mas em comum, todos parecem (e devem ser mesmo) muito ricos!

Toda vez que eu saía por Mayfair, eu tentava encontrar o pub Red Lion indicado pelo meu amigo Giuseppe. O tal pub é de um amigo dele. Ele falou que eu iria gostar e que era perto, apesar de bem escondido. Bom, o resultado é que eu precisei de vários dias para caçar o Red Lion!

Toda noite eu acabava ancorando em algum outro lugar. Era até engraçado. De manhã, o Zé perguntava:
– E aí, foi ao Red Lion?
– Não encontrei, me perdi, achei outro lugar. Sempre tinha alguma coisa…

No primeiro dia, na recepção do hotel, eu havia arrumado um mapa e a informação de um lugar chamado Shepherd Market que fica bem perto do hotel.

shepherd-market.jpg
Shepherd Market

Não deu outra, na primeira noite, eu estava bem cansado e quando vi animação, logo ali pertinho, resolvi que era ali que eu iria jantar. Nem pensar em procurar o Red Lion.

O pessoal por ali estava mais para um booze do que para jantar, eu estava mais para jantar do que para beber, então percebi que não havia tantas opções quanto parecia. Até que um lugar me chamou a atenção: Bistrô L’Autre. Um lugar com nome francês, chamado bistrô que oferece uma combinação de cozinha polaca com mexicana. O que poderia ser aquilo?

shepherd-market-iii-lautre.jpg

Eu sei que os poloneses estão invadindo Londres, poderia até ser que aquilo era somente um bistrô francês onde o assistente de cozinha é mexicano e o garçom, polonês… Sei lá, com fome, uma noite bonita daquelas e animação na esquina, resolvi conferir.

Não foi caro, não foi especial. O pedaço de lombo que eu comi tinha “gravy” que eu adoro e era macio como o garçom havia dito, mas também era o lombo mais cheio de gordura que eu já comi. Explicava-se assim a maciez da carne. Na verdade, o prato não parecia mexicano, nem polonês (se é que eu entendo disso), o prato era bem inglês. Não gostei, só valeu pelo ambiente. Nem o vinho era bom, antes tivesse pedido uma cerveja.

shepherd-market-iii-lautre-ii.jpg

Em outra noite, saí caminhando por Mayfair em direção norte, meu objetivo era achar o Red Lion e chegar até a Oxford Street. Segui caminhando com um olho na rua e outro no mapa e vi que havia uma praça bem grande no meu caminho. Mirei nela e segui.

Ao chegar à praça: surpresa! É ali que fica a Embaixada dos EUA. Eta gente espaçosa e mal resolvida com a vizinhança! Cortaram meu barato, a praça estava toda fechada e fiquei desmotivado de atravessar pelo outro lado, resolvi mudar meu destino e seguir pela direita.

emb-eua-londres.jpg
A Embaixada que invadiu a praça!

Achei um pub que me chamou a atenção: Audley’s. Apesar de parecer posh (meio termo entre “cool” e “chic” no inglês da Inglaterra), o lugar era mesmo BBB. Gastei pouquinho e comi bastante e bem. Jantei experimentando uma cerveja St. John’s. Não sou nada entendido, mas achei que combinaria bem e… ficou ótimo. E lá se foi a segunda tentativa de encontrar o Leão Vermelho!

    audleys.jpg

Dali, segui caminhando e encontrei o restaurante do Gordon Ramsey (chef e astro de reality shows de gastronomia), conferi o cardápio, admirei o Hotel Claridge’s e continuei caminhando. Só teria graça se eu estivesse bem acompanhado.

    gordon-ramsey.jpg

Quando cruzei a Regent St, vi que eu tinha cruzado uma fronteira. Dali pra frente, estava o SoHo e à noite, o lugar não fica lá muito bem freqüentado não. Os mais bêbados já estavam usando a rua como banheiro. Era melhor nem continuar. De dia, vale o passeio, o bairro mistura lojas legais, bons restaurantes, junta-se com West End, é bacana. Mas naquele horário…resolvi voltar de metrô. Acabei encontrando o Piccadilly.

    regent-st.jpg

Regent St

Na terceira tentativa de matar o leão, eu saí decidido a não desviar pra lugar nenhum, mas ao encontrar o Papagallo, eu não consegui seguir adiante. O cardápio tinha primo piati, secondo piati, ah não deu não. Mas nesse dia o Giuseppe ficou orgulhoso de mim. O Papagallo é um restaurante italiano muito bem conceituado!!!! Jantei espetacularmente bem. Só não era exatamente barato🙂

Foi só na quarta tentativa que eu encontrei o tal pub. O Red Lion é muito escondido, eu passei muito perto dele em todas as noites que circulei ali e não encontrava.

Fica escondido porque deve ser o único pub pé-sujo de Mayfair. Super tradicional. Muito legal. Comi e bebi bem baratinho. O atendimento é todo brasileiro (viu como é tradicional?), a comida estava ótima, eu me empolguei e pedi até sobremesa. Foi muito gostoso! Altamente recomendável e muito barato também.

Se o pessoal da minha empresa pudesse ler este post ficariam orgulhosos de mim!!!

Confira a série “Viajando a trabalho”:

* Filosofando no metrô de Londres
* Chegando no escritório com bom humor
* Aproveitando o pouco tempo livre
* Onde se hospedar
* Londres-viajando a trabalho

21 Respostas para “Viagem a trabalho: Caçando o jantar em Mayfair

  1. Show JB!!! Adorei as descrições, fotos e sinceridade “destemperada”😎

    Abração

  2. JB (como le llama mais arriba Diogo),
    Recuerdo que cuando yo estuve en Londres aún não había ocurrido lo de las “vacas locas” y la comida era muy rara. Lengua de ternera, riñones de vaca, pastel de carne raríssimo… en fin!. No apto para vegetarianos!!!.
    Supongo que habrá cambiado mucho la comida.
    Pero el plato polonés-mexicano me recuerda aún a tiempos pasados.
    ESTUPENDAS fotos y un texto interesantíssimo!!!
    Ate logo.

  3. Jorge, deixo a sugestão de um outro leão digno de ser visitado em Londres, embora menos conhecido que o vermelho – o Black Lion, na esquina da Bayswater Road com a Queensway, em Bayswater, um pub do século XVIII, muito bacana mesmo!😉

  4. Diogo, sei que estou te devendo uma “matéria”. Eu não esqueci não. Por favor, prorroga meu prazo mais um pouquinho….

    Carmem, entre meus amigos ingleses, já há vários vegetarianos! O único hábito que eles não largam é a bebida!!! Como bebem!!!

    Carla, eu havia lido alguns comentários seus lá no VNV falando de Bayswater. Olha, eu quase dei um pulo lá e pretendia esticar a Notting Hill, mas não deu. Vai ficar pra próxima. Meus amigos londrinos haviam me passado boas referências dali.

  5. Valeu compartilhar com todos nos, não so o texto, como a sabedoria de que podemos trabalhar e viajar, pois a vida e bela, curta, limitada e de duração indeterminada… Todas as viagens a trabalho tem pontos bonitos e momentos que podemos aproveitar… Sds. para voce e para a pequena.

    Ernesto

  6. Inspiração para um cardápio polaco-mexicano:

    Pierogi com mole poblano

    Tacos de cebola frita caramelada

    Dumplings com huitlacoche

    Margaritaroska

  7. Obrigado Ernesto! Era exatamente isso que eu queria passar. Eu vejo muitas pessoas que não conseguem aproveitar as coisas boas que algumas vezes aparecem empacotadas não obviamente para a gente, como uma viagem a trabalho.

  8. Ricardo,

    Esse taco de cebola frita caramelada e a margaritaroska acho que dá para implementar fácil, fácil. Parece bom!

  9. Ótimo relato sobre a minha bela Londres. Como está lindo o Hyde Park!
    gd ab

  10. Adorei o texto, adorei as fotos… e fiquei morrendod e vontade de bater penas em Londres! Sensacional, parabéns!

  11. Seu blog é delicioso.
    Parabéns!

  12. Vc aproveitou mesmo esta viagem de trabalho, hein?! Normalmente a gente fica meio com preguiça, depois de trabalhar… ainda mais se o trabalho for pesado.
    Hehe… sei não. Eu tb tô começando a achar que vc é terrorista. é muita coincidência.😛 Brincadeira. Ainda bem que nenhum dos atentados te atingiu.
    Eu não entendi uma coisa… por que o pessoal do seu trabalho não pode ler seus post?! Eles não sabem ler?😛 Ou eles não sabem português? Ou… sei lá. :-)))
    []’s

  13. Oi, Jorge
    Tão bom conviver com o que há de melhor – pessoas queridas, livros, comidas, viagens… e o talento! Muito bom ler seu texto, ver as fotos e aproveitar sua experiência para agregar mais informações.
    Aproveito para fazer uma pergunta que nem sei se devo, mas enfim… para um rapaz viajado como vc… Vc tem alguma idéia de quanto gasta uma pessoa para passar um dia em Paris para 1 refeição boa e um lanche à noite, com transporte e passeios?
    Bjs a vc, Tati e Clara

  14. Muito bom, Jorge. E os brasileiros no Red Lion, te prepararam uma caipirinha ?🙂
    Aguardo o post sobre sua escapada para ver o sol da meia-noite na Noruega.

    Chris Pessoa, já conversei com o Jorge sobre essa coisa do pessoal do trabalho lerem os blogs…
    Divulguei meu blog no meu trabalho e resultado: agora todos os wordpress estão bloqueados… Sem falar no problema de algumas almas invejosas ficarem muito de olho no que fazemos ou deixamos de fazer…
    Abraços!

  15. Jorge

    Eu sempre aproveito as viagens a trabalho… Ate para Ribeirão Preto, alem do obvio Pinguim tem o Parque Curupira, o roteiro Portinari, o Teatro, e até uma Fazenda de criação de aves ornamentais… Com imaginação, em qualquer lugar e hora se aproveita algo!!!

  16. Liciana

    Para passar em Paris, com passeios, transporte coletivo e lanches, com um almoço do dia, em restaurante simples, creio que aproximadamente 80 Euros por dia (mais a hospedagem)

  17. Ernesto, eu já fui à Ribeirão a turismo!!!! Nós visitamos Ribeirão algumas vezes e estávamos sempre no Pinguim também!!!!

    Arthur, estou saindo de férias agora e não vou conseguir atualizar o blog por algum tempo. Mas na volta, eu prometo colocar os posts sobre Estocolmo (Suécia) e terminar a série Viagem a trabalho rsrsrs.

    Acho que vou começar outra: viagem com bebês!!!!!

  18. Chris Pessoa,

    Eu não divulgo este meu hobby entre meus colegas de trabalho. Eles não me entenderiam hahahaha.

  19. Palpiteira, Julio Cesar e PatyPolo,

    Obrigado pela visita e pelos elogios.

  20. Liciana,

    Eu vou no número do Ernesto. Acho que está bem razoável para que vc tenha algum conforto.

    E muito obrigado pelo ocmentário, vc pode ter certeza de que a recíproca também é verdadeira.

  21. Lefkas Bottarga contrata –
    Empresa na área de alimento sediada em Garopaba, Santa Catarina, produtora de bottargas, procura profissional “gourmant” para representação. Enviar curriculum para info@bottargaclub.com ou acesse o site http://www.bottargaclub.com (link “trabalhe conosco”).

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s