Viagem a trabalho: Compromisso saideira!

    pub-minories.jpg

    típica “sala de reunião” londrina concorridíssima depois das 18hs

Quando chega a sexta feira, aquela vontade de relaxar começa a imperar e à medida que o dia caminha para o fim, cada vez menos coisas são resolvidas.
Para muitos povos, isso costuma acontecer às quintas feiras, eu sei, mas o sentimento é sempre igual onde quer que se esteja independente de raças, culturas e crenças.
É dada a hora de celebrar o descanso, seja num bar, à mesa para uma refeição ou numa oração.

Em Londres não seria diferente, ainda mais no verão. Mesmo que a estação “quente” deste ano esteja fraca para eles, basta a temperatura estar acima de 20ºC, com ou sem garoa, para que eles corram para o lado de fora para celebrar!

towerbridge.jpg
Verão londrino!!!

Na manhã do meu último dia de trabalho, eu ainda consegui resolver bastante coisa importante, mas para o período da tarde, eu já antecipava que profissionalmente eu não conseguiria tirar muita coisa da cartola, então, decidi que aquele era o momento de fazer uma visita a aqueles colegas que passo um tempão falando por telefone ou trocando emails e que raramente vejo pessoalmente. Afinal, não é todo dia que tenho a oportunidade de estar em um dos escritórios principais da empresa.

Passar para falar um oi, tomar um café e perguntar como estão as coisas. Simples assim. Além de prazeroso, isso ajuda muito no trabalho. Não há e não haverá nada que substitua o contato pessoal. É no retorno que o investimento de uma viagem a trabalho é recuperado. O comprometimento entre as equipes fica mais forte e um ambiente amistoso de trabalho só ajuda, não é mesmo?

Tudo começou assim, comedidamente. Passei no escritório de um, tomei um chá, depois passei na mesa de outro, tomei um café. Com a tarde avançando, fui para outro endereço e tirei um amigo de dentro do escritório para tomar um capuccino no café ao lado o que já foi uma pausa mais longa… Até que no final da tarde, com o expediente encerrado, já no pub mais próximo, o “compromisso” virou cerveja.

    the-market-porter.jpg

E sabe o que foi mais legal? Parece até brincadeira, mas no meio de tudo isso, rolou um “tour”.

canary-wharf-do-dlr.jpg

Da Casa do Canário (Canary Wharf) eu peguei o DLR (Docklands Light Rail). Um metrôzinho de superfície construído para facilitar o deslocamento exclusivamente entre os dois centros financeiros de Londres: a antiga e sempre prestigiosa City e as novíssimas instalações de Canary Wharf. Liga ainda, o centro financeiro ao aeroporto “business” de Londres: City Airport.

    dlr.jpg

Entre estes dois pontos, o upgrade é geral. A região de docas do leste de Londres está no meio de um mega boom imobiliário. Tudo está sendo reconstruído, reformado e antigos espaços vazios estão agora sendo ocupados. Curti a região. Perto do trabalho e junto ao centro de Londres.

dlr2.jpg

Quando desci do DLR, eu me surpreendi com a região e com o escritório. Está tudo novo, havia uma semana que eles haviam mudado e achei o mais interessante dos que já conheci da empresa. Dentro de um complexo de prédios antigos que poderia ter sido uma escola, todo murado e com lindos jardins.
Por dentro foi todo reformado com a melhor infra possível. Demais!!!! Eles não gostam, porque estão se sentindo isolados. (Devia trazê-los para o Brasil).

tower-of-london.jpg

A localização é quase turística, ao lado da Torre de Londres, Tower Bridge e especialmente deste lugar escondido que num dia de mais sol seria espetacular. Uma jóia escondida no centro da cidade. Depois de tomar um café no St. Katharine’s Docks, eu pensei em não voltar à Canary Wharf nunca mais.

st-catherines-docksiii.jpg

A última “reunião” do dia acabou emendada com um happy hour com meu amigo italiano de nome cearense: Giuseppe Raimondo no Southbank.

    southbank.jpg

Resolvi seguir para este importante compromisso a pé. Fui caminhando pela Tower Bridge e passei pelo prédio da prefeitura de Londres que é a minha construção moderna favorita na cidade. Essa região do Southbank é a minha favorita em Londres.

    prefeitura-londres.jpg

Um passeio entre o Butler’s Wharf e a Tate Gallery está na minha lista de “TO DOs”. Beira rio ou no emaranhado de pequenas ruas ao redor, não há como não encontrar bares, restaurantes e um monte de atrações legais.

butlers-wharf.jpg

O Zé me levou num lugar sensacional. Eleito pelos nativos, como melhor atração turística de Londres para londrinos: o Borough Market. Vou precisar voltar mais cedo para explorar mais antes da cerveja rolar solta e pegar o mercado aberto, mas já gostei do lugar mesmo fechando.

    borough-market.jpg

Eu acho meio sacal o costume de ter que pagar pela bebida a cada rodada, mas ao fazer isso, a vantagem é que você pode ficar do lado de fora ao ar livre e não precisa se espremer dentro do pub (uma alternativa é deixar o cartão de crédito com o caixa).

Um outro hábito etílico local é que cada um que entra para pegar bebida, compra a rodada para o grupo todo e todo mundo quer entrar ao menos uma vez para retribuir, então o número de rodadas aumenta com o número de pessoas no grupo. Se forem dez amigos, serão dez rodadas, se todos entrarem apenas uma vez. Mais uma desculpinha barata para beber mais. Coisas do “jeitinho inglês”!!!!

Ainda que os meus hábitos etílicos sejam moderados, num grupo de três pessoas (o Zé encontrou uma amiga americana lá), ao menos 3 pints para cada um estavam garantidos, ainda que nenhum de nós fosse inglês. Para me manter firme, eu pedi para comermos e migramos para o bar ao lado onde nos servimos de ostras (compradas do mercado em frente) com vinho Chablis e seguimos discutindo uma longa pauta muito importante, que incluiu os planos de Reveillon deles no Brasil.

Foi bastante divertido e eu até achei que estava muito sóbrio, mas a foto que tentei bater deles sem flash me denunciou. Veja só.

giuseppe.jpg

Ficou evidente que era hora de encerrar a reunião e voltar pra casa…

11 Respostas para “Viagem a trabalho: Compromisso saideira!

  1. Demais!!! Hahahahahahaha…

    Adoro essa cidade. É a MINHA cidade. A cidade que eu mais gosto no mundo!

    E Canary é fantástico mesmo… nossa, cada predião! Passei por ali uma porção de vezes, pra ir pra Greenwich, por exemplo. A outra, pra comer no Gauchos Grill, na beirinha do Thames. Ruim né?!

    Abração, e welcome again, bloody england😎

  2. Bacana. Finalmente Gira “atacando” de novo!

  3. Ô Jorge, me arruma um emprego desse aí… Muito legais os dois posts, este e o de cima. E acho que vem outro, né? Abração.

  4. Jorge, belo final para a temporada lerê/relax em Londres!
    Aliás, adorei a Casa do Canário😆

  5. Valeu Galera! Beto, olha o que vc pede. Tem que pedir direito na vida. Vc não sabe onde vai se meter…

  6. Sabia que quando você voltasse vinha coisa boa!

    Mais um texto super gostoso de ler. dava vontade de ter estado lá!

    um abraço

  7. Bão, Jorge, melhorando o pedido, arruma umas passagens dessas aí. O emprego a gente segue analisando. OK assim?

  8. Coisa boa, né não?
    Que bom que voltou, queremos todos saber das férias com a pequena!

  9. Beleza Beto! Vamos nessa toada e no dia 23 a gente acerta os detalhes rsrsrs.

    Mônica, eu começo a relatar o viajando com bebês depois que terminar Estocolmo. Tem cada foto!

  10. Pingback: E finalmente São “Petersen” deu uma força! « Gira Mundo

  11. massa vey,gostei mesmo,valeu tah ajudando pro meu tra balho.bj

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s