Viagem “genérica” à Toscana!

Foi somente depois desta mais recente viagem ao Vale dos Vinhedos, distrito de Bento Gonçalves na Serra Gaúcha, que eu entendi a diferença entre um produto genérico e um similar.

Embora seja cópia do mesmo “princípio ativo”, o similar não necessariamente produz o mesmo resultado no organismo comparado ao original.

Do outro lado, o genérico, antes de qualquer coisa, deve produzir o mesmo efeito do original.

Antes que alguém ache que estou tomando muitos remédios, eu explico:

O apelo italiano do Vale dos Vinhedos é mesmo autêntico: a cultura, o sotaque do povo, a arquitetura, a hospitalidade, a gastronomia, os vinhedos, tudo já era daquele jeito bem antes de o lugar se transformar num destino turístico. Mas faltava alguma coisa para completar a “experiência” e a gente não sabia o que era.

Essa não era a nossa primeira viagem ao Vale, porém, foi a primeira vez que tivemos a real sensação de que estávamos mesmo na Itália, mais precisamente na Toscana!

Casa de um vizinho da pousada.

Sabe o que fez a diferença desta vez? A hospedagem! Era isso, a gente nunca achou a hospedagem do Vale grande coisas. Não estou falando de luxo, não, estou falando de um lugar que combinasse com a paisagem do lugar…

A Pousada Borghetto Sant Anna!

Eu normalmente não curto essas construções “tipo-europeu” que a gente costuma ver Brasil afora. Acho Campos de Jordão, por exemplo, o fino do brega. A Suíça brasileira não passa de uma cópia falsificada de quinta categoria.

Para mim, as referências mais evidentes de Campos do Jordão são chinesas!

O Rubens se inspirou no… Vale dos Vinhedos. Sim, ele construiu casas novas de pedra que combinam exatamente com a história e as tradições do lugar. Eu não teria gostado tanto se encontrasse aquelas casinhas em qualquer outro lugar.

Ele poderia ter sido pretensioso ao ponto de batizar suas casinhas de “vilas”, mas ao contrário, ele apenas colocou no interior algumas referências às tradições toscanas e mesmo francesas, o que não descaracterizou a pousada em nada.


Pato Juca preparado para o banho da pequena Clara! Banho de bebê com vista!

As casas são tão bacanas que se sente falta de nada. Não há nenhuma área comum, nem mesmo uma piscina, o que reforça a sensação de que você está na sua própria casa no Vale dos Vinhedos. Melhor, uma casa onde você não precisa se preocupar com reparos, manutenção, arrumar a cama, etc. Delícia!

Todas as manhãs, assim que você dá o sinal, abrindo a janela da sala da sua casa, o Rubens chega com seu fiel escudeiro Galileo, um labrador gigante, para servir o café da manhã.

Com tudo isso, o resultado ou efeito no organismo do paciente, ops, viajante é mesmo aquele que se sente ao se hospedar num recanto do campo no interior da Itália!

Vinícola Valontano

La garanzia è me!

Na hora de pagar a conta, esqueça os Euros. Dá para fazer um pagamento com similar nacional! Pagando em Reais, você fica ainda muito melhor!

About these ads

22 Respostas para “Viagem “genérica” à Toscana!

  1. Que bom! Quem é vivo SEMPRE aparece, ainda que custe. Tudo bem com a trinca Gira? Esperamos que sim. Bom retorno com essa boa matéria, com dicas e fotos convidativas. Eu preciso demais programar uma viagem à terra da Sylvia. Acho que faremos isso em fevereiro de 2009, porque depois dessa minha viagem em curso pelo Japão, em dezembro irei A St.Martin/St.Marteen e Orlando (USA), encerrando a agenda de viagens de 2008. Em 2009 já comprada a viagem para Síria e Jordânia em maio, terminando em Paris. Assim, espero dar uma passeada pelo Brasil (especialmente Santa Catarina e Rio Grande do Sul) nos primeiros meses do anor.

    Bem, desejo boa sorte, saúde e boas viagens à trinca.

    Grande abraço.

  2. E aí Jorge, tudo bem? Andou sumido. Correndo atrás da Clara?
    Ótimo post. Desde que tu mencionaste a Borghetto Sant Anna faz bastante tempo no VnV colocamos na nossa “To go list”. Agora no verão vai ser certo que vamos.
    Abraço.

  3. Prezado Jorge,

    Parabéns pela iniciativa de fazer este blog.
    O blog é muito interessante e rico em informações.
    Desejo sucesso!
    Cordialmente,

  4. Finalmente! Estava com saudade dos seus posts, Jorge! Adorei o lugar, fiquei com água na boca!

    Beijos

  5. Que delicia de post…
    Estou precisando de um lugar assim… incluindo um café da manha desse jeitinho :)
    Me lembrou o lugar que fiquei em em Visconde do Maua :)
    abs

  6. Arnaldo, quanto tempo! Não é mesmo? Eu me enrolei bastante este ano com o trabalho,mas estava com muita saudade de voltar a blogar. Estou de volta! Espero que vcs estejam bem também. Aproveitem a viagem! Vejo que vcs continuam com a agenda cheia! Ótimo!
    Um grande abraço,

    Luciano, este ano pretendo voltar ao Sul para visitar a feira do livro de POA em Novembro. Vamos colocar a Isabella e a Clara para lerem uns livros na feira? Um abraço

    Patricia, obrigado! Demorou um pouco mas saiu post novo. Agora volto sempre.

    Mirella,
    Se vc ainda não esteve no Vale dos Vinhedos, não deixe para depois, só não sei como andam as coisas lá depois da lei seca, porque o turista sempre prova alguma coisa em uma vinícola ou outra. Procure se hospedar num lugar característico como este que eu indico aqui, ok? Assim, vc vai gostar ainda mais.

  7. Jorge, que legal ter posts novos pra ler! (Te entendo bem – como é difícil manter o blog ativo quando o trabalho chama!!!)

    Compartilho a implicância com Campos do Jordão… Eu sou descendente de suíços, e acho esse apelidinho “a Suíça brasileira” o fim da picada, porque nunca houve imigração suíça para Campos do Jordão, ou seja, é tudo fake mesmo… A verdadeira “Suíça brasileira” teria que ser Nova Friburgo-RJ, que foi realmente fundada e colonizada pelos imigrantes suíços…

    Acho que isso também faz a diferença no Vale dos Vinhedos, né? Como a região foi povoada de verdade por colonos italianos, na hora em que se encontra um lugar (pousada, restaurante) que respeita as tradições, a atmosfera é de reconhecimento do original, mesmo que reinventado do jeito brasileiro – não tem cara de cópia ou imitação… ;-)

  8. Isso mesmo, Carla… disse tudo que eu queria expressar. Valeu! :)

  9. Jorge , Tati e Clara estamos aqui de mate na mão
    esperando vcs para a convnvenção na Feira do Livro , com direito a comilanças “destemperadas” e autógrafos do Riq :oops:

  10. Sylvia,
    Oba, eu já tô planejando tudo! Vai ser demais!

  11. Nossa cada foto heim Gira e lugar ideal para levar clarinha, acho que a família toda curtiu. Adorei demais!!! :)

  12. Jorge B & family, que prazer voltar a ler um novo post de você.

    O Vale dos Vinhedos é precioso. A pousada Borghetto Sant Anna tem um ambiente tranqüilo e muito agradável. Uma boa descoberta.
    (o Pato Juca é enooormmmeeee!!!)

  13. Carmen, o pato juca foi aposentado. Agora a Clara tá quase do tamanho dele hahahahahaha.
    Obrigado pelo comentário, Carmen, eu tava com muita saudade de escrever no bloguinho!

  14. Jorge, que pousada bacana e como é linda a região !!
    Brasil tem preciosidades :)
    Beijos nos três :lol:

  15. Jorge, que delícia esse post, dá mesmo vontade de ir lá, qualquer que seja a origem dessa cultura (chineses, “jordanianos”, italianos ou suiços). Que bom lê-lo de volta. Abss

  16. Eu tô procurando um lugar para passar 10 dias em Janeiro com minha mãe e nunca fui abaixo de Curitiba – de lá pulei para BA e Punta. Ela não é muito fá de praia e adora um vinhozinho. Acho que achei! Obrigada ;-)

  17. Gira, adorei a Toscana genérica e…o Pato Juca. Depois deixa a dica de onde adquirir um, hahaha. Legal ver vc postando novamente! bjo

  18. Olá..
    Qual foi a gência de viagem que vc usou neste lindo passeio.
    Obrigada

  19. Para quem tem interesse, eu descobri um site que é especializado sobre a Serra Gaúcha. Para aqueles que gostam de natureza e aventuras, ou para aqueles que querem conhecer hotéis, pousadas e restaurantes, o site é bastante interessante. Segue o endereço: http://www.serraportal.com.br

  20. Onde você comprou o “pato juca”? É sensacional para viagens!

  21. Já q é em italiano: La garanzia sono io

  22. Jorge,
    Adorei suas dicas de viagens com bebês. Tenho uma bebê de 1 ano e meio e estamos planejando uma viagem a Italia no fim do ano. Gostaria de sua opinião sobre a cadeira de automovel. Levo daqui, compro lá, tem pra alugar? Enfim, não sei como fazer, até porque a cadeira é grande para ficar carregando e o bebê conforto não dá mais…
    Obrigada,
    Luciana

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s