Arquivo da tag: hyde park corner

Viagem a trabalho: onde se hospedar

Cheguei a Londres em uma quinta feira pela manhã.

Maior correria, eu já estava atrasado para o meu compromisso, graças aos controladores de Guarulhos que seguraram o vôo por 1 hora na partida.

Eu precisava chegar a Canary Wharf (a leste do centro de Londres) que fica literalmente lá na casa do canário… Como gosto de chamar esse distrito comercial de cerca de 7 anos que rivaliza com a City em número de sedes de grandes empresas na cidade.

vista-da-city-a-partir-da-margem-sul-do-tamisa.jpg
Vista da City (principal centro financeiro da Europa) a partir da margem sul do Tâmisa.

Cheguei um pouco atrasado, mas resolvi meu dia. Não antes de concluir que Canary Wharf está bem melhor do que há 4 anos quando eu havia estado ali pela última vez. Tem mais vida, mais gente, mais opções, parece que está sendo integrado com a cidade.

Este bairro e toda a região de docas a leste do centro da cidade foram reconstruídos por volta da virada do milênio celebrando não só a virada, mas também o jubileu da rainha. A mais nova linha de metrô chama-se Jubillee, no final desta linha está o Millenium Dome. O Reino Unido vivia o auge da era Blair, quando a economia crescia em ritmo chino-europeu. Não, as coisas não estão ruins não, apesar da euforia já não ser tão grande, achei Londres ainda mais próspera desta vez do que da anterior.

canary-wharf-ao-longe.jpg
O distrito de Canary Wharf lá ao longe, visto da Tower Bridge.

Canary Wharf é um bairro moderníssimo onde deve estar a média salarial mais alta da cidade. As empresas mais importantes estão sediadas aqui e as que ainda não vieram, estão se mudando. Ainda assim, trata-se de uma “ilha” que poderia estar em qualquer lugar do mundo: Nova Iorque, Bangalore, Tóquio, São Paulo, Cidade do México, etc.

E por isso mesmo, não diz absolutamente nada sobre Londres, sobre a Inglaterra ou mesmo sobre a Europa, apesar de estar junto de uma curva interessante do Tâmisa.

Conclusão: Canary Wharf está para Londres como a Berrini está para São Paulo. Então a pergunta é: você se hospedaria na Berrini se tivesse que vir a São Paulo sozinho para trabalhar?

Ainda que no meu caso eu precisasse estar ali a maior parte do meu tempo, para cumprir o 10º mandamento Gira Mundo, a resposta só poderia ser NÃO.
Eu não quis me hospedar nos ótimos hotéis de Canary Wharf.

canary-wharf-de-perto-do-dlr.jpg
Canary Wharf de perto, da estação do DLR (Docklands Light Rail – trem que o bairro liga à City e ao aeroporto London City)

Se você vai viajar a trabalho e quer poder aproveitar um pouquinho da cidade que vai te receber, você precisa escolher bem o endereço do seu hotel. Na maior parte das vezes, o endereço comercial que você precisa chegar para trabalhar não é o melhor lugar para se hospedar e na maior parte das vezes, vale a pena, ficar mais longe um pouquinho do escritório e não correr o risco de cair no tédio em uma cidade espetacular como é Londres.

As minhas opções eram:

1) Ficar em um hotel no bairro pasteurizado ao lado do escritório e gastar 5 minutos por dia caminhando, ou;
2) Gastar 1 hora e um pouco por dia caminhando, tomando metrô, fazendo longas “baldeações” (termo paulista para conexão no metrô), trocando o confortável café da manhã do hotel pelo trem cheio de todas as manhãs londrinas.

hyde-park-corner-do-hotel.jpg

Fiquei com a segunda, hehehe. Eu procurei um canto em Hyde Park Corner na lista de opções que me foi entregue. Toda empresa tem uma lista de opções, então pegue a lista e procure descobrir onde está “a cidade”. No meu caso, valeu a pena, sente só a vista (acima) às oito horas da noite!!!! Até o tempo estava me ajudando toda vez que eu saía do trabalho, hehehe.